terça-feira, 18 de junho de 2013

Opinião: Corrupção x Sonegação

O maior problema do Brasil não é a corrupção como muitos acreditam, mas sim a sonegação de impostos. Enquanto o dinheiro público que é desviado por corrupção monta, na pior das hipóteses, R$ 44 bilhões por ano, a sonegação de impostos representa 5 vezes mais, ou seja, R$ 200 bilhões ao ano.
(http://homemquecalculava.blogspot.com.br/2013/04/e-se-nao-houvesse-sonegacao-corrupcao-e.html)


Então se os manifestantes querem combater um prática mais nociva, deveriam lutar contra a sonegação de impostos. Deveriam lutar também contra a privatização e internacionalização das reservas de petróleo que podem representar muitos trilhões de Reais.
http://www.dr-sergio-cruz.com/products/não-ao-leilão-do-pre-sal!-o-petroleo-e-nosso!/ )

Além disso os protestos são inoportunos, o país já investiu bastante dinheiro para as copas das confederações e do mundo, portanto quem está fazendo esta propaganda negativa do Brasil está jogando fora a chance de recuperar os investimentos já feitos. Vamos queimar dinheiro? Essa é uma atitude inteligente?


Senso crítico, ceticismo e exame da realidade devem ser usados amplamente para se evitar erros de julgamentos (http://lesswrong.com/ http://rationality.org/).

Essa é minha humilde opinião.

terça-feira, 11 de junho de 2013

Livro: "O Sequestro da América"

Está disponível, pela Editora Zahar o livro "O Sequestro da América" de Charles Ferguson, mesmo autor de "Trabalho Interno" que ganhou o Oscar de melhor documentário de 2011.

Logo a seguir podemos ver um trecho do livro:

"Muitos livros já foram escritos sobre a crise financeira, mas há duas razões pelas quais decidi que ainda era importante escrever este.
A primeira razão é que os caras maus escaparam e, surpreendentemente, houve pouco debate público a esse respeito. Quando recebi o Oscar de melhor documentário em 2011, eu disse: 'Três anos após uma horrível crise financeira causada por fraude em massa, nenhum executivo financeiro foi para a cadeia. E isso é errado.' Questionados posteriormente sobre a falta de processos, altos funcionários do governo Obama responderam de maneira evasiva, sugerindo que não havia acontecido nada ilegal ou que as investigações prosseguiam. Nenhum dos principais candidatos republicanos à presidência levantou o assunto."


"Mas mesmo deixando de lado esta crise, há hoje evidências abundantes de comportamento criminoso disseminado e impune no setor financeiro. Mais à frente neste livro repassarei a lista do que já sabemos, que é muito."


Ou seja, qualquer semelhança é mera coincidência!

Veja mais trechos em http://www.zahar.com.br/sites/default/files/arquivos/Pages%20from%20FERGUSON_OSequestroDaAmerica_28-01-13.pdf

Qual é sua opinião?

sábado, 1 de junho de 2013

Bancos corruptos, indústria corrupta de direitos autorais: por que eles externalizam os problemas de negócio?

Tradução do artigo Corrupt Banks, Corrupt Copyright Industry: Why Do They Get to Externilize Business Problems? de Rick Falkvinge

Nós estamos em uma tendência na qual os políticos acreditam que alguns fracassos comerciais são um problema de todos, mas quando as mesmas empresas tem êxito, elas ficam com todos os lucros. Esta é uma maneira ridícula e contraproducente de se construir uma economia funcional, além disso ameaça as liberdades civis. O setor bancário e a indústria de direitos autorais* destacam-se como os maiores parasitas desta área.


O arranjo perverso onde os bancos são socorridos com o dinheiro dos impostos a cada vez que pudessem ir à falência, acentuou-se com os eventos recentes - e mais absurdo é que os bancos ficam com os lucros para eles mesmos, tendo as perdas cobertas pelo dinheiro dos impostos.


No jargão econômico isso é chamado de externalização - quando alguém transfere alguns aspectos do negócio para fora da organização de forma que eles não sejam lidados. Poluição industrial, por exemplo, é um caso típico de externalização de um problema: se você tem lama tóxica como um subproduto de um processo de manufatura e pode despejá-la em um rio próximo, isto é externalização, porque você não precisou pagar pela limpeza. Os contribuintes (e o rio morto) sim.


O fato de que os bancos externalizam as perdas cria mecanismos de incentivos, horrivelmente distorcidos, onde a exposição a riscos extremos é recompensada, por causa da inexistência de perdas. Há apenas o potencial de ganhos enormes. É mais ou menos como se você fosse imortal e não pudesse se machucar - imagine que loucuras você faria fora do comportamento normal diante da mortalidade? Esta é a situação corporativa na qual os bancos estão.



Assim é a indústria dos direitos autorais. Eles tem o monopólio de distribuição sobre parte do conhecimento e da cultura (que pode, e deve, ser debatido). Mas ao contrário de outros monopólios, onde o detentor do monopólio tem que abrir processo em um tribunal de direito, essa indústria tem externalizado o problema comercial de imposição de seu monopólio -  porque é um problema de negócios - fazendo com que o aparato público policial garantisse suas regras de negócio em seu nome, estendendo este monopólio comercial - monopólio dos direitos autorais - em direito penal.


Em outras palavras, o não apoio a um modelo de negócios foi colocado em pé de igualdade legal com prejudicar um outro ser humano -  e isso tem sido feito por políticos que estão perigosamente sem noção.  Eles permitiram que a indústria de direitos autorais externalizasse seus problemas comerciais para deixar para os contribuintes a criação de leis para imposição de um monopólio já imoral.

Isso é obsceno. Isso precisa acabar.


*N.T.: Copyright foi traduzido para direitos autorais.