sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Minha Configuração para o GAMIN

Para evitar que o GAMIN pesquise por mudanças em sistemas de arquivos várias vezes em um intervalo curto de tempo, utilizei uma configuração personalizada aumentando o intervalo de monitoração de sistemas de arquivos NFS. Essa configuração é boa principalmente para usuários que montam a área HOME via automount/NFS, minimizando a utilização de recursos de rede e CPU.

Para alterar a configuração do GAMIN (gam_server) por usuário, crie um arquivo chamado .gaminrc no diretório HOME dele e coloque o seguinte conteúdo:


# ~/.gaminrc
# configuration for gamin
# Can be used to override the default behaviour.
# notify filepath(s) : indicate to use kernel notification
# poll filepath(s) : indicate to use polling instead
# fsset fsname method poll_limit : indicate what method of notification for the filesystem
# kernel - use the kernel for notification
# poll - use polling for notification
# none - don't use any notification
#
# the poll_limit is the number of seconds
# that must pass before a resource is polled again.
# It is optional, and if it is not present the previous
# value will be used or the default.
fsset nfs poll 10 # use polling on nfs mounts and poll once every 10 seconds


Com isso o gam_server só vai pesquisar por arquivos alterados a cada 10 segundos para os volumes montados via NFS.

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Executando o BrOffice 2.3 no CentOS 5.2 com SELinux

Estava tentando executar o BrOffice 2.3 instalado no diretório /opt/broffice-2.3 em um CentOS 5.2 com SELinux, no entanto toda vez que o programa era executado terminava de forma inesperada e com a seguinte mensagem exibida no terminal:

no suitable windowing system can be found

após examinar as mensagens com o comando dmesg, pude perceber que era uma negação de acesso devido ao contexto errado de segurança para o arquivo libvclplug_gen680li.so.1.1. Esse arquivo estava com o contexto usr_t, então após uma pesquisa na internet descobri aqui, que o contexto correto seria textrel_shlib_t. Então para solucionar o problema basta executar o comando:


# chcon -t textrel_shlib_t /opt/openoffice.org2.3/program/libvclplug_gen680li.so.1.1


Depois disso o BrOffice funcionará normalmente.

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Como eliminar um diretório da busca do comando find

Muitas vezes ao usarmos o comando find nos deparamos com a situação de evitar que um determinado diretório seja pesquisado, pois o resultado da pesquisa seria perda de tempo, já que temos certeza que o queremos encontrar não está naquele diretório. Para contornar esse problema podemos usar o comando find da seguinte forma:


$ find /algum/dir/qualquer \( -size +1000k \) -o \( -name "nome_do_dir_a_ser_evitado" -prune \)


Neste exemplo o find fará um varredura no diretório /algum/dir/qualquer sem entrar nos diretórios chamados nome_do_dir_a_ser_evitado para encontrar arquivos maiores do que 1000k.

P.S.: Agradecimentos ao amigo PR pela dica.

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Como Suspender e Hibernar o Sistema via Comando

Para podermos suspender e hibernar o sistema via comando. O sistema utilizado foi o CentOS 5, mas creio que o funcionamento em outras distribuições é bem semelhante.

Para suspender use:


$ dbus-send --session --dest=org.gnome.PowerManager --type=method_call --print-reply --reply-timeout=2000 /org/gnome/PowerManager org.gnome.PowerManager.Suspend

ou:

$ dbus-send --system --print-reply --dest="org.freedesktop.Hal" /org/freedesktop/Hal/devices/computer org.freedesktop.Hal.Device.SystemPowerManagement.Suspend int32:0

ou ainda:

$ gnome-screensaver-command --lock && sleep 1 ; /usr/bin/pm-suspend

Para hibernar use:

$ dbus-send --system --print-reply --dest="org.freedesktop.Hal" /org/freedesktop/Hal/devices/computer org.freedesktop.Hal.Device.SystemPowerManagement.Hibernate

ou:

$ gnome-screensaver-command --lock && sleep 1 ; /usr/bin/pm-hibernate

Obs.: Dependendo do ambiente de trabalho (KDE, XFCE, etc.) e método utilizados é necessário efetuar o bloqueio da tela antes de entrar no modo de economia de energia. No ambiente KDE use o comando kdesktop_lock --forcelock para travar a tela.

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Solução para o problema com disco externo Maxtor no CentOS 5

O disco externo Maxtor (ID 0d49:7300) de 1 TB ao ser conectado em um computador com CentOS 5.1 apresentava a seguinte mensagem de erro


device descriptor read/64, error -71


e nenhum device era criado no diretório /dev, o que impossibilatava qualquer acesso ao disco. Encontrei aqui uma solução para contornar esse problema.

Confrome descrito lá, é suficiente remover o módulo ehci_hcd para que o disco funcione normalmente, para tanto execute o seguinte comando:


$ sudo /sbin/modprobe -r ehci_hcd


Após remover o módulo, mesmo que o disco já esteja conectado, o sistema passa a ter acesso normal ao mesmo.

quarta-feira, 30 de julho de 2008

Teclado Multimídia no GNU/Linux

Recentemente comprei um teclado multimídia Pleomax modelo PKB-7000X com conexão USB, ele foi reconhecido pelo sistema, mas os botões de atalho Back, Forward e Stop não funcionavam.

Pensei um pouco e resolvi usar o utilitário xmodmap para remapear as teclas para os respectivos eventos.

Para descobrir o código de cada tecla (keycode) usei o programa xev em um terminal e após pressionar cada tecla, foram impressos no terminal seus respectivos códigos.

De posse dos códigos agora vem o trabalho do xmodmap, que para remapear a tecla Back procedemos como demonstrado a seguir:

$ xmodmap -e "keycode 234 = XF86Back"

após esse comando ser executado a tecla Back funcionará no Firefox para voltar uma página no histórico.

No entanto, esta alteração só valerá enquanto durar a sessão atual, então vem a questão: "Como fazer para que esses ajustes sejam feitas a cada nova sessão?"

Um método é utilizar o arquivo $HOME/.xmodmaprc e colocar nele todos os mapeamentos desejados. Dito isso, vejam só como ficou meu arquivo xmodmaprc:

keycode 234 = XF86Back
keycode 233 = XF86Forward
keycode 232 = XF86Stop



Na próxima vez que uma sessão for iniciada, uma janela será exibida perguntando qual arquivo xmodmaprc carregar. Então selecione o arquivo .xmodmaprc listado no lado esquerdo, pressione os botões Carregar e OK. Se não quiser que essa pergunta seja feita novamente, marque a opção Não mostrar esta mensagem novamente.

domingo, 13 de julho de 2008

Rock Band, Guitar Hero e Frets On Fire: Editor de músicas não existe?

Sexta-feira passada escutava a Band FM quando dois comentaristas falavam sobre os jogos Guitar Hero e Rock Band, mostrando as qualidades e fraquezas das novas versões. Em um determinado momento um dos comentaristas falou que em pouco tempo os produtores desses softwares colocariam um editor de músicas. Ele não sabe, mas esse recurso já existe no jogo gratuito Frets On Fire que tem versões para Windows, Linux e Mac.

Há muito tempo vejo idéias surgirem no mundo dos códigos abertos/softwares livres (CA/SL) e serem copiadas em softwares proprietários e levarem o crédito pelo pioneirismo. Os produtores de software proprietário conseguem levar o crédito pelo fato do grande investimento em propaganda, coisa que praticamente inexiste no mundo CA/SL.

Como a forma de divulgação do CA/SL se dá pela propaganda boca-a-boca estou fazendo aqui a minha parte.

quarta-feira, 9 de julho de 2008

Como retirar um diretório da busca do "Analisador de Utilização do Disco (a.k.a Baobab)"

O Analisador de Utilização do Disco (Baobab) é uma ferramenta bastante útil para o usuário descobrir quais sistemas de arquivos ou diretórios estão utilizando mais o disco (ou storage).

Entretanto em sua configuração padrão ele faz uma busca em uma pasta (diretório) entrando recursivamente em todas as outras pastas, mas em determinadas situações queremos que uma determinada pasta não seja varrida. Então para resolver este problema precisamos utilizar a ferramenta de configuração do Gconf conhecida como gconftool-2 da seguinte forma:


gconftool-2 --type list --list-type string --set /apps/baobab/properties/noscan "[/dir/nao/varrido]"


dessa forma a pasta /dir/nao/varrido não será varrida durante o processo análise de utilização do disco.

quinta-feira, 3 de julho de 2008

Como ter acesso aos arquivos do Motorola Z6 no Linux

Referências:
http://ubuntuforums.org/archive/index.php/t-557687.html

Instale o pacote que fornece o MTPFS (Media Transfer Protocol File System):

$ sudo apt-get install mtpfs


Verifique se você está no grupo fuse com o comando id


$ id
uid=1000(usutest) gid=1000(usutes) grupos=4(adm),20(dialout),24(cdrom),25(floppy),29(audio),30(dip),44(video),46(plugdev),100(users),104(scanner),106(fuse),108(lpadmin),110(admin),115(netdev),117(powerdev),120(vboxusers),1000(usutest)


No seu Motorola Z6 vá em Menu Principal->Configurações-> Conexões->Configurações USB e mude para 'Sincronização Mídia'

Conecte o celular na porta USB do computador, então aparecerá uma janela perguntando se você quer importar fotos, se responder Ignorar vá para o passo 1, mas se a resposta for Importar siga para o passo 2.

1. Após responder Ignorar, execute os seguintes comando em um terminal:


$ mkdir ~/MTPz6
$ mtpfs ~/MTPz6


Aparecerá um ícone nomeado MTPz6 na área de trabalho, então clique nele e uma janela do Nautilus será aberta exibindo os arquivos presentes no diretório de mídia do seu Z6. Agora você pode arrastar e soltar arquivos nesta janela como qualquer outra janela de diretório do seu HD.

Quando todas as operações de escrita terminarem não esqueça de desmontar o drive MTPz6 antes de desconectar o cabo USB. Para tanto, execute o comando


$ fusermount -u ~/MTPz6


2. Se você respondeu Importar, o seu programa de fotos padrão será aberto exibindo uma janela de importação de fotos, no entanto se o seu objetivo é gerenciar músicas na memória do Z6, então feche o programa de fotos e abra o Rhythmbox (Aplicações->Som & Vídeo->Reprodutor de Músicas Rhythmbox), vá em Editar->Plugins, localize o plugin Reprodutores Portáteis - MTP , selecione-o e feche a janela Configurar os Plug-ins.



Então aparecerá um ícone (como mostrado acima) nomeado Z6 no painel esquerdo na lista de Dispositivos, agora é só arrastar as músicas para lá e elas serão gravadas no aparelho. Não esqueça de desconectar logicamente o Z6 antes de remover o cabo, para tanto clique no ícone do Z6 com o botão 2 do mouse e escolha Ejetar.

quarta-feira, 2 de julho de 2008

Gerenciar músicas em cartões de memória, pen drives, etc. com o Rhythmbox

Recentemente coloquei um cartão de memória SD de 1 GB no meu celular Nokia e precisava copiar músicas do meu computador para o cartão. Só que havia um problema, ao arrastar as músicas do Rhythmbox para o cartão as músicas ficavam com o formato original do arquivo que era Ogg Vorbis, mas o tocador do celular não aceita este formato e até onde eu sei ele só aceita MP3 e AAC.

Normalmente quando conectamos um DAP (Digital Audio Player) ao Linux (Ubuntu 8.10) e usamos o Rhythmbox para manejar as músicas, a maioria desses dispositivos é reconhecida, e quando arrastamos alguma música do programa para o dispositivo, a mesma é convertida para um formato suportado quando se faz necessário.

Então vem as questões:

Como fazer para que quando um arquivo de música seja arrastado para um cartão, ela seja convertida?
Como fazer para que as músicas sejam copiadas para uma determinada pasta?

Estas duas questões podem ser respondidas com: "Crie um arquivo denominado .is_audio_player na raiz do sistema de arquivos do seu cartão de memória, pen drive, ou que for."

Quando um cartão de memória é "espetado" no sistema uma janela do Nautilus é aberta exibindo o conteúdo do diretório raiz, então clique com o botão 2 do mouse num espaço vazio dessa janela e selecione Criar Documento->Arquivo Vazio, renomeie o arquivo para .is_audio_player, abra-o com o editor de texto e coloque nele o seguinte conteúdo:


audio_folders=MUSICAS/,RECORDS/
folder_depth=2
output_formats=audio/mpeg


Nesse exemplo os diretórios MUSICAS/ e RECORDS/ no seu cartão de memória serão gerenciados e os arquivos serão convertidos para MP3, se quiser suporte para Ogg Vorbis e WMA utilize a seguinte configuração:


audio_folders=MUSICAS/,RECORDS/
folder_depth=2
output_formats=application/ogg,audio/x-ms-wma,audio/mpeg


Se ao abrir o Rhythmbox o seu cartão de memória não for mostrado no painel do lado esquerdo, selecione Música->Examinar Mídias Removíveis que será feita uma detecção dos dispositivos de armazenamento que contém o arquivo .is_audio_player.

Referências:
Guide/DAPs/MassStorageDevices - Banshee
http://forums.sandisk.com/sansa/board/message?board.id=view&message.id=6895

quarta-feira, 25 de junho de 2008

Divulgando e ajudando o SL/CA e afins

Ajude a sustentar a Wikipédia e outros projetos, sem colocar a mão no bolso, e concorra a um Eee PC!
…e também a pen drives, card drives, camisetas geeks, livros e mais! O BR-Linux e o Efetividade lançaram uma campanha para ajudar a Wikimedia Foundation e outros mantenedores de projetos que usamos no dia-a-dia on-line. Se você puder doar diretamente, ou contribuir de outra forma, são sempre melhores opções. Mas se não puder, veja as regras da promoção e participe - quanto mais divulgação, maior será a doação do BR-Linux e do Efetividade, e você ainda concorre a diversos brindes!

Começando com NFSv4

Após muito tempo trabalhando com NFSv3, chegou agora a hora para começar a estudar o NFSv4. Por isso essa semana comecei a pesquisar sobre o tema e percebi diferenças substanciais entre a versão anterior e a v4. A medida que for pesquisando colocarei aqui dicas, resultado de testes e referências sobre o assunto. Já fiz alguns testes básicos e os primeiros resultados foram impressionantes.

terça-feira, 17 de junho de 2008

Inscricão no Firefox Download Day

Já fiz minha inscrição para ajudar a estabelecer o record de downloads de um único software, no caso o Firefox 3. Quem quiser colaborar com este record, por favor cadastre-se em Firefox Download Day 2008.

terça-feira, 27 de maio de 2008

Criptografia em Dispositivos de Armazenamento em Bloco no Linux

O procedimento a seguir foi testado no Ubuntu 7.10 e no Fedora 8, utilizando um memory stick de 1 GB já particionado e contendo apenas uma partição. Foi utilizado o LUKS (Linux Unified Key Setup) para criptografar os dados.

Primeiro temos que formatar o dispositivo para que o LUKS possa utilizar a partição:

$ sudo -H cryptsetup luksFormat /dev/sda1



WARNING!

========
This will overwrite data on /dev/sda1 irrevocably.

Are you sure? (Type uppercase yes): YES
Enter LUKS passphrase:
Verify passphrase:
Command successful.


Note que no comando anterior foi solicitada a entrada de uma senha (passphrase), portanto memorize-a, se não os dados ficaram inacessíveis.

Inicie o dispositivo para que seja criado um ponto de acesso no diretório /dev. Este dispositivo é do tipo DM e ficará localizado em /dev/mapper/nome-do-device:


$ sudo -H cryptsetup luksOpen /dev/sda1 ms01-cr
Enter LUKS passphrase:
key slot 0 unlocked.
Command successful.


Crie o sistema de arquivos no dispositivo ms01-cr:


$ sudo -H mkfs.ext3 /dev/mapper/ms01-cr
mke2fs 1.40.2 (12-Jul-2007)
Filesystem label=
OS type: Linux
Block size=4096 (log=2)

Fragment size=4096 (log=2)
125184 inodes, 250234 blocks
12511 blocks (5.00%) reserved for the super user
First data block=0

Maximum filesystem blocks=260046848
8 block groups
32768 blocks per group, 32768 fragments per group
15648 inodes per group
Superblock backups stored on blocks:
32768, 98304, 163840, 229376

Writing inode tables: done

Creating journal (4096 blocks): done
Writing superblocks and filesystem accounting information: done

This filesystem will be automatically checked every 27 mounts or
180 days, whichever comes first. Use tune2fs -c or -i to override.


Crie um ponto de montagem para poder ter acesso ao sistema de arquivos recém criado:

$ sudo mkdir /mnt/ms01-cr


Monte o sistema de arquivos:

$ sudo mount /dev/mapper/ms01-cr /mnt/ms01-cr


Faça um teste de criação de arquivo para certificar que tudo está funcionando normalmente:

$ sudo touch /mnt/ms01-cr/teste


Desmonte o sistema de arquivos:

$ sudo umount /mnt/ms01-cr


Feche o dispositivo de mapeamento:

$ sudo cryptsetup luksClose ms01-cr


Removar logicamente o memory stick:

$ sudo eject /dev/sda


Remova-o fisicamente.

Usando o memory stick encriptado

Conecte o memory-stick novamente e você verá a seguinte janela de diálogo solicitando a senha para acesso aos dados encriptados:



Após digitar a senha correta, na área de trabalho aparecerá um ícone chamado disk relativo ao volume encriptado. Detalhes sobre a montagem podem ser verificados com:

$ mount | grep luks
/dev/mapper/luks_crypto_64cbad69-0fcd-4fe5-b3c5-22bb5321ab78 on /media/disk type ext3 (rw,nosuid,nodev)


Agora o dispositivo pode ser utilizado normalmente com se não estivesse encriptado, pois todo o trabalho de criptografia é feito de forma transparente.

Antes de remover o dispositivo clique com o botão 2 sobre o ícone disk e selecione a opção ejetar, assim como é feito com qualquer outro disco removível.

Para mais informações consulte:

http://kbase.redhat.com/faq/FAQ_96_7091.shtm
http://www.howtoforge.com/ubuntu_dm_crypt_luks

terça-feira, 20 de maio de 2008

Novo Site UOL tem Suporte a Vídeo no Linux

Hoje percebi que UOL reformulou o site de notícias e ao ver uma apresentação passo-a-passo feita em flash que mostrava as novas características do site, me deparei com o seguinte:

que, como pode ser visto, anuncia que os vídeos poderão ser vistos por usuários de Linux e Mac por estarem usando tecnologia Flash. Resta agora, dar congratulações ao UOL por oferecer suporte aos usuários desses sistemas que não são dominantes, no entanto acho que eles estão seguindo a demanda também, que vem crescendo empurrada por usuários tanto de Linux, como de MacOS.

sábado, 17 de maio de 2008

Prevista a Sincronização do Liferea com o Google Reader

Lendo o artigo sobre o Google Summer of Code 2008 na Free Software Magazine achei bem interessante a passagem na qual se fala sobre a integração entre o leitor de notícias RSS Liferea e o Google Reader.

Se este projeto for concluído, eliminaria um incoveniente existente quando se usa estes dois softwares, pois se por um lado usa-se o Liferea por ser uma aplicação integrada ao desktop, por outro usa-se o Google Reader por ser possível ler suas notícias de qualquer lugar. Que tal que as notícias lidas no Google Reader fossem sincronizadas assim que o Liferea fosse iniciado, evitando assim termos que ler as mesmas notícias duas vezes? Eu respondo que seria muito bom!

Então, para aqueles que como eu sentem falta desse recurso, vamos torcer para que o projeto seja concluído e venhamos a utilizar esses novos e bons recursos.

sábado, 10 de maio de 2008

Revista Full Circle - Feliz Aniversário

Fiz o download da edição de número 12 da revista eletrôniva Full Circle que está comemorando o primeiro aniversário de existência. Venho o acompanhando o bom trabalho desta publicação que considero de ótima qualidade.

Nesta edição temos o seguinte conteúdo:

  • Como-fazer (How-to):
    • Criando e distribuindo Debs
    • Série: Servidores - parte 4
    • Uso de disco no Ubuntu
    • Nova Série: Gimp - parte 1
    • Backup com o PartImage
  • Avaliação:
    • Um Wiki em um memory stick (pendrive)
  • Minha Opinião:
    • WINE
  • Entrevista:
    • Travis Watkins
  • Mulher Ubuntu
  • Juventude Ubuntu
  • Cartas
  • P&R (Perguntas e repostas)
  • Minha área de trabalho
  • Top 5:
    • Analizadores de utilização de disco
  • Como contribuir
  • Índice da Full Circle 07-08

Os exemplares estão disponíveis em inglês e tem algumas traduções, no entanto não há tradução para o português, exceto as de número 0 e 1. Existe um grupo para a traduzir a revista para o português, mas pelo visto não tem sido muito ativo, portanto para aqueles que desejam contribuir com a tradução comecem aqui.

quarta-feira, 7 de maio de 2008

Roteiro de Instalação do Plug-in Java no Ubuntu 8.04 LTS

Motivado pelo post anterior, resolvi criar este roteiro de instalação do plug-in Java da Sun no Firefox que vem instalado por padrão no Ubuntu 8.04 LTS. Veremos que o roteiro é bastante simples, mas podemos evitar que um plug-in não compatível com os teclados virtuais de bancos internet seja instalado.

1. Abra o Firefox e aponte para o site do seu banco
2. Navegue até chegar na página onde deveria ser exibido o teclado virtual
3. Clique no local indicado para a instalação do plug-in


4. Será exibida a tela do assistente de instalação de plugins mostrando as opções disponíveis. Então escolha a opção The Java(TM) Plug-in Java SE 6 e clique no botão Avançar


5. Quando for solicitada a confirmação para instalar programa adicional, responda sim


6. O download dos pacotes será iniciado. Aguarde a conclusão da instalação dos pacotes.
7. Concluída a instalação, o firefox perguntará se é pra recarregar o applet java do teclado virtual, após a confirmação o teclado será exibido um aviso de segurança


8. Clique no botão Run e o teclado será exibido.

Como pode ser constatado, o procedimento para instalar o plug-in é bastante simples, só deixando dúvidas sobre qual versão de plug-in instalar.

Problema com o teclado virtual de bancos no Ubuntu 8.04

Ainda não testei o teclado virtual do banco na versão 8.04, no entanto dois colegas já relataram o mesmo problema e fazendo uma busca encontrei no fórum do Ubuntu em português uma solução proposta para este problema. Basta consultar em:

Assim que fizer os testes na minha instalação, posto aqui os resultados.

domingo, 4 de maio de 2008

Mais sobre suspend e hibernação no Linux

Muitas vezes não basta alterar as configurações em /etc/default/acpi-support, tem que testar também parâmetros de BIOS, descarregar alguns módulos, testar em modo texto e desativar alguns dispositivos. Para testar a suspensão em modo texto pode-se proceder da seguinte forma:

1. Vá para um terminal (modo texto) teclando CONTROL+ALT+F1
2. Pare o GDM com:
sudo /etc/init.d/gdm stop
3. Finalmente coloque o computador para dormir com:
echo mem | sudo tee -a /sys/power/state

Se não voltar normalmente vá fazendo várias tentativas até encontrar o módulo que está causando problemas. Um recurso que costuma causar problemas com hibernação/suspensão é o escalonamento de freqüência (cpufrequtils), se estiver usando, desative-o e faça um teste.

Obs.: Procedimento válido para o Ubuntu 7.10

sábado, 3 de maio de 2008

Cadê o /etc/inittab no Ubuntu?

Precisei desativar a carga de alguns processos durante o processo de boot do sistema, em especial os processos getty que são iniciados para os terminais tty3, tty4, tty5 e tty6. Fui procurar pelo arquivo /etc/inittab que tradicionalmente era usado para configurar os processos carregados durante o boot. Eu já sabia que o Ubuntu há algum tempo usa o upstart para realizar a gestão de processos do sistema, mas não havia ainda pesquisado nada sobre como utilizá-lo, pois trabalho mais com Red Hat Linux, CentOS, AIX, dentre outros que ainda usam o inittab para essa gestão.

Após uma breve pesquisa vi que a configuração do upstart equivalente ao inittab reside em /etc/event.d, lá ficam os arquivos de configuração de cada processo que deve ser controlado pelo upstart. Por exemplo, o arquivo tty3 controla o processo getty para o login no terminal /dev/tty3 (CTRL+ALT+F3) e tem o seguinte conteúdo:


# tty3 - getty
#
# This service maintains a getty on tty3 from the point the system is
# started until it is shut down again.

start on runlevel 2
start on runlevel 3
stop on runlevel 0
stop on runlevel 1
stop on runlevel 4
stop on runlevel 5
stop on runlevel 6

respawn
exec /sbin/getty 38400 tty3


De onde podemos extrair as seguintes informações:

  • Este processo é iniciado nos níveis de execução 2 e 3;
  • Deve ser parado nos níveis 1, 4, 5 e 6;
  • Deve ser re-executado sempre que cair (respawn);
  • E comando a ser executado é /sbin/getty 38400 tty3
Então se quisermos que esse processo não seja iniciado no runlevel 2, basta substituir a palavra-chave start por stop na seguinte linha:


start on runlevel 2


ficando assim:


stop on runlevel 2


O upstart fornece alguns comandos para a gestão dos processos durante o funcionamento do sistema, esses comandos são: start, stop e status. Tais comandos podem ser utilizados para iniciar, para e consultar o estado de um determinado processo. Para consultarmos o estado do processo getty para o tty3, usamos o seguinte comando:


$ sudo status tty3
tty3 (start) running, processo 4837


Comecei agora a estudar o upstart, no entanto percebi que existem várias possibilidades a explorar.

sábado, 26 de abril de 2008

Atualização do Ubuntu 7.10 para o 8.04

Hoje atualizei uma instalação do Ubuntu 7.10 que estava em um HD externo USB para a versão 8.04 que acabou de sair.

O processo foi bastante simples e inteiramente livre de problemas, fiz o download da imagem ISO do Ubuntu 8.04 i386 Alternate e gravei-a em um CD. Após inserir o CD, o Ubuntu detectou-o e perguntou se queria atualizar o sistema, respondi que sim e um programa guia começou o upgrade. Decorridos vários minutos (não sei quantos) o guia perguntou-me se queria reiniciar o sistema, respondi que sim.

Durante a primeira carga do sistema não pude perceber muitas mudanças, mas na tela de login já pude perceber algumas mudanças gráficas. Usei durante pouco tempo esta nova versão e ainda não tenho muitos elementos para fazer uma boa avaliação sobre esta novidade, no entanto percebi que alguns aplicativos estão bastante rápidos.

Uma coisa é certa, a atualização para a nova versão foi bastante fácil e sem problemas. Portanto, recomendo que façam isso, em vez de uma instalção a partir do zero.

quinta-feira, 17 de abril de 2008

Configurar Rede Wireless no Notebook Acer Aspire 5570z

O notebook Acer Aspire 5570z (5570-2607) vem com um placa wireless da Atheros Communications modelo AR5006EG, que algumas pessoas relataram ser na verdade uma AR5007 e que não funciona com os drivers nativos do Ubuntu (madwifi). Para que esta placa funcione é necessário instalar os drivers do Windows XP utilizando o utilitário ndiswrapper.

Para configurar corretamente foram utilizados os seguintes recursos:

http://ubuntuforums.org/showthread.php?t=512828
http://quartieri.wordpress.com/2007/12/02/acer-aspire-5570z/

após seguir as instruções mostradas nos links acima a interface de rede foi acionada com sucesso e as redes disponíveis foram localizadas e exibidas com seus respectivos níveis de sinal.

quarta-feira, 2 de abril de 2008

Autocompletar com TAB no pdksh

Esta dica é para quem usa o pdksh (Public Domain Korn Shell). Quem usa o bash utiliza bastante a tecla TAB para completar nomes de diretórios e comandos e quando utiliza outro programa shell sente falta deste recurso. Na verdade o pdksh já possui recurso semelhante, no entanto, o modo de utilização é diferente, já que se usa as combinações de teclas CONTROL+F e CONTROL+E para esta tarefa.

Então para deixarmos o pdksh com comportamento igual ao do bash, usamos o comando:


set -o vi-tabcomplete

que pode ser colocado no arquivo $HOME/.profile para que toda vez que você abra um novo pdksh essa configuração fique ativa. Observem que esta dica é válida para o pdksh e não para o ksh.

segunda-feira, 24 de março de 2008

Notificando usuários

No Ubuntu é necessário instalar o pacote libnotify-bin, este é o pacote que contém o utilitário notify-send usado no script de notificação. Este script tem uma vantagem de pode notificar os usuários mesmo quando é executado via cron


#!/bin/sh
user=`whoami`
pids=`pgrep -u $user "xfce4-session|gnome-session"`
title=$1
text=$2
timeout=$3

if [ -z "$title" ]; then
echo Você precisa fornecer um título >&2
exit 1
fi
if [ -z "$text" ]; then
text=$title
fi
if [ -z "$timeout" ]; then
timeout=60000
fi

for pid in $pids; do
# find DBUS session bus for this session
DBUS_SESSION_BUS_ADDRESS=`grep -z DBUS_SESSION_BUS_ADDRESS \
/proc/$pid/environ | sed -e 's/DBUS_SESSION_BUS_ADDRESS=//'`
# use it
echo $DBUS_SESSION_BUS_ADDRESS $pid
DBUS_SESSION_BUS_ADDRESS=$DBUS_SESSION_BUS_ADDRESS \
export DBUS_SESSION_BUS_ADDRESS=$DBUS_SESSION_BUS_ADDRESS
notify-send -i dialog-warning -u normal -t $timeout "$title" "$text"
done



O código fonte original deste script encontra-se aqui.

Para que uma notificação seja exibida no trigésimo minuto de cada hora, devemos programar uma entrada na crontab da seguinte forma:

30 */1 * * * notifyUser.sh "Lembre-se" "Está na hora de beber água." 60000


Mais aplicações para este script ficam a cargo da sua imaginação.

terça-feira, 11 de março de 2008

Configurar os Plugins no Compiz Fusion

Um colega meu estava querendo configurar detalhes no Compiz, no entanto ele não estava encontrando o programa para esta tarefa. Então disse pra ele instalar o pacote compizconfig-settings-manager, que pode ser instalado via Synaptic, apt-get ou ainda clicando no link a seguir: compizconfig-settings-manager

Sendo este último recurso conhecido como Apt-url.