sábado, 21 de dezembro de 2013

Como Instalar o Driver Proprietário das GPUs ATI no Fedora 19


O procedimento descrito a seguir foi realizado em um Linux Fedora 19 amd64 com APU AMD Vision E2 composto de processador E-450 e aceleradora gráfica (GPU) ATI Radeon HD 6320.

  • Atualize as informações dos repositórios de pacotes:
$ sudo yum check-update

  • Atualize o sistema:
$ sudo yum update -y

  • Instale o pacote de desenvolvimento do kernel:
$ sudo yum kernel-devel

  • Instale o compilador C:
$ sudo yum install gcc

  • Instale o driver ATI Catalyst:
$ sudo yum install akmod-catalyst xorg-x11-drv-catalyst xorg-x11-drv-catalyst-lib


Reinicie o sistema. O próximo boot deve ser demorado, pois o driver será compilado para combinar com a versão atual do kernel.

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

WriteLaTeX Rich Text Demo

Não saber LaTeX não é mais desculpas para tirar proveito de suas boas funções, agora o site writeLaTeX oferece um modo Rich Text semelhante aos processadores de texto tradicionais como: LibreOffice Writer, MS Word, Google Docs, etc.

Confira no vídeo a seguir:

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Sonegômetro mostra que calote aos cofres públicos passa de R$ 304 bilhões

Via Agência Brasil
Daniel Lima
Repórter da Agência Brasil


Brasília – O calote aos cofres públicos passou de R$ 304 bilhões, mostra o placar online da sonegação fiscal no Brasil, instalado hoje (25) perto do Congresso Nacional. Segundo o Sindicato Nacional dos Procuradores da Fazenda Nacional (Sinprofaz), o valor daria para construir 10.566.231 postos de saúde equipados. O leitor que quiser consultar a ferramenta em tempo real e ver alguns exemplos do prejuízo que o país tem deve acessar o endereço www.sonegometro.com na internet.


Segundo os procuradores, se o Sonegômetro fosse um estado brasileiro, e o valor sonegado fosse colocado como seu Produto Interno Bruto (PIB), estaria em quarto lugar no ranking, perdendo apenas para São Paulo (R$ 1,248 trilhão), Rio de Janeiro (R$ 407 bilhões) e Minas Gerais (R$ 351 bilhões).

O Sinprofaz destaca que não é só o volume do prejuízo que importa, mas a relação direta entre sonegação fiscal e corrupção. Por isso, a categoria considera importante esclarecer a população sobre o problema. A ação faz parte da Campanha Nacional da Justiça Fiscal "Quanto custa o Brasil pra você?", criada pela entidade em 2009.

O valor estimado de sonegação tributária é superior a tudo que foi arrecadado em 2011 de Imposto de Renda (R$ 278,3 bilhões). Para chegar ao índice de sonegação, o estudo selecionou tributos que correspondem ao 87,4% do total da arrecadação tributária no Brasil, entre eles os impostos de Renda, sobre Produtos Industrializados (IPI), sobre Operações Financeiras (IOF) e ,sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS); as contribuições ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) e sobre o Lucro Líquido (CSLL), além do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Para os procuradores, existem duas situações: em uma delas, encontra-se a grande maioria dos cidadãos, que precisa trabalhar até quatro meses por ano só para pagar impostos. Na outra, "muito bem camuflada" está uma minoria que se beneficia das diversas brechas da legislação tributária, do sucateamento da Advocacia-Geral da União (AGU) e da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN), fazendo fortuna e alimentando os caixas da corrupção, da lavagem de dinheiro e do crime organizado, explicam os procuradores.

“Indiferente e acomodado, o governo prefere repassar a conta para o cidadão, que suporta uma das maiores cargas tributárias do mundo”, destaca o Sinprofaz.

O secretário adjunto da Receita Federal, Luiz Fernando Teixeira Nunes, no entanto, garante que existe um esforço, pelo menos por parte do Fisco, para mudar tal realidade. “Não trabalho com esses números, que são do âmbito da Procuradoria da Fazenda Nacional, uma fase seguinte da cobrança dos créditos tributários. A visão da Receita Federal, sim, é que nós aperfeiçoamos os instrumentos de cobranças aos grandes contribuintes”, disse Nunes.

O secretário lembrou que foram criadas delegacias especializadas e preparadas para trabalhar com os grandes contribuintes para combater a sonegação. “Então, há, sim, cobrança de impostos dos assalariados, da classe média, mas também foram aperfeiçoados os instrumentos de cobrança em relação aos grande contribuintes.”

Luiz Fernando Nunes lembrou que o Fisco tem pessoas treinadas e capacitadas, que procuram atuar firmemente em relação a esses contribuintes. “Há delegacias especializadas no Rio de Janeiro e em São Paulo apenas para trabalhar com os chamados grandes contribuintes."

Edição: Nádia Franco

Veja também:

sábado, 21 de setembro de 2013

Punição e Violência

Nietzche said that the history of the world is the ultimate refutation of the notion that there is a moral order in the universe. I am simply paraphrasing him by observing that history is the ultimate refutation oh the theory that punishment will prevent or deter the violence. On the contrary, punishment is the most powerful stimulus of violence that we have yet discovered. -- by James Gilligan
Excerto do artigo "Punishment and Violence: Is the Criminal Law Based on One Huge Mistake?"

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Firefox OS Simulator. Agora disponível também para Linux ~ Ubuntronics



O Firefox OS Simulator é uma extensão para o navegador web da fundação Mozilla. Ele permite testar o sistema operacional móvel a Mozilla criou, direto de nossos computadores.



O complemento é bastante grande (50-70MB), porque inclui uma simulação completa do Firefox OS juntamente com suas aplicações padrão.

A extensão estava disponível somente para Windows (talvez para OS X também), mas agora também poderemos desfrutá-la no Linux.


...

Firefox OS Simulator. Ahora disponible también para Linux ~ Ubuntronics   

Baixar: https://addons.mozilla.org/es/firefox/addon/firefox-os-simulator/

terça-feira, 9 de julho de 2013

Remunerando a web

Paying for the web? - Por Lionel Dricot

Eu sei que isso parece loucura, mas eu quero contribuir com uma tentativa de um pequeno experimento. Durante um ano, você pagará pelo conteúdo que você consomir na web: artigos em blogs, música, vídeos, boas fotografias, notícias e até mesmo simples tweets! Você pagará por tudo!

O que? Pagar pela web? Sim, mas…

Há duas observações importantes. A primeira seria que você só pagaria apenas após consumir o conteúdo que tenha gostado ou avaliado como valioso. Seria como se você tivesse ido ao cinema e decidido depois se valeria a pena pagar pelo ingresso.

A segunda observação é que você sempre gastará 2€ por mês, independentemente da quantidade consumida. Ao final de um ano, este experimento terá custado apenas 24€. O interessante é que é um valor que cabe em seu bolso.

Como começar?

É fácil. Crie uma conta no Flattr e envie-lhes 24€.

flattr

Uma vez registrado no Flattr, tente encontrar um pequeno botão verde cada vez que você apreciar algum conteúdo. Se você não encontrar, não hesite em contactar o autor solicitando a inclusão de um botão do Flattr.

flattrbuttons

Mas "Flatt-ar" é quase sempre possível sem a existência explícita de um botão. Instale a extensão Flattr para Chrome ou Firefox e a logomarca do Flattr será exibida no navegador a cada vez que você visitar uma página “Flatt-ável”. Desse modo, você pode Flatt-ar tweets individuais no Twitter, vídeos no Vimeo, música no Soundcloud e Grooveshark, imagens no Flickr, 500px, Instagram e projetos de software no Github. Sim, você pode até mesmo flatt-ar um único commit no github!

flattr_extension

Se o autor do conteúdo não tiver uma conta no Flattr ainda, seu Flattr é marcado como pendente. Seu dinheiro será transferido de sua conta para a conta do autor somente quando ele solicitar os Flatrrs pendentes.

Você pode até mesmo configurar Flatt-agem automática no Grooveshark. Os artistas que você ouve durante um dados mês receberão automaticamente um Flattr naquele mês. Um serviço externo chamado FlattrStar permite-lhe, automaticamente, Flatt-ar conteúdo que você marque com uma estrela no Google Reader, Readability, Instagram, Pocket e muitos mais. É até mesmo possível Flatt-ar alguém na rua com seu smartphone! Mas vamos deixar para depois.

Ao receber Flattrs

você está apoiando o conteúdo que você gosta. Mas talvez o publicador do conteúdo seja você mesmo? Seu conteúdo pode ser Flatt-erado como qualquer outro website já mencionado. Se você tem um blog, não hesite em fazer com que cada post seja Flatt-ável.

E se você comenta neste próprio blog, não hesite em adicionar seu Flattr ID. Um comentário afinal é um conteúdo. Ele pode ser considerado útil, interessante ou engraçado para outras pessoas e valer uns Flattrs.

As desvantagens

Mesmo sendo um grande fã do Flattr, não deixo de destacar duas críticas principais que você deve estar ciente.

Primeiramente, o Flattr é um modelo proprietário e centralizado. Você tem que confiar neles. Se o Flattr se tornar um dia extremamente grande, ele terá uma quantidade enorme de poder. Eu espero ver alguns competidores e algumas alternativas distribuídas (usando Bitcoin?). Mas, nesse meio tempo, o Flattr é uma solução funcional e muito interessante.

Em segundo lugar, o Flattr fica com 10% de cada Flattr. Durante seu experimento, 2,4€ serão destinados diretamente ao Flattr. Se faz sentido ter alguma tarifa, alguns gostariam de vê-la mais baixa.

Conclusão do experimento

Reserve um ano para realizar o teste. No pior caso, você perderá apenas 24€. Perda não é uma palavra muito apropriada quando você sabe que 21.6€ irão para o produtor do conteúdo que você apreciar. Você pode testar por apenas 6 meses ao enviar 12€.

Mas se tudo correr bem, você descobrirá o simples prazer de apoiar o que você gosta na web. Você assinará algum conteúdo a fim de Flatt-ar-los durante 3 ou 6 meses. Você se verá aumentando o limite mensal para 3€, 5€ ou mesmo, se você for bem rico, o máximo de 250€.

E se sua meta de ganhar tanto quanto você gastar no Flattr lhe dá alguma motivação para criar um blog, publicar uma imagem no Flickr, músicas no SoundCloud ou vídeos no Viméo? Não tenha vergonha: se uns poucos euros lhe dão motivação, por que não os usar para soltar sua criatividade?

Disponible en français

Creative Commons License
The Paying for the web? by Lionel Dricot, unless otherwise expressly stated, is licensed under a Creative Commons Attribution 2.0 Belgium License.

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Brasil desenvolve tecnologia inédita com fibra de carbono | Agência Brasil

Brasil desenvolve tecnologia inédita com fibra de carbono | Agência Brasil

Flávia Villela
Repórter da Agência Brasil
Rio de Janeiro - O Brasil desenvolveu uma tecnologia inédita com fibra de carbono, mais barata e tão resistente quanto às comercializadas no mercado internacional. A pesquisa foi desenvolvida pelo Exército Brasileiro, em parceria com a Petrobras, e usa o piche de petróleo para a criação do material. Muito usada na indústria da aeronáutica e automobilística a fibra de carbono diminui o peso dos materiais sem perder a resistência.
A fibra de carbono de piche já é produzida comercialmente no Japão e nos EUA, porém com piche de alcatrão ou sintético (substâncias químicas puras), e com o preço de comercialização variando entre US$ 50 e US$ 1 mil o quilo. O alto custo faz com que o material, que substitui sobretudo o aço e alumínio, seja mais usado em carros de Fórmula-1, veículos de luxo, em aviões e foguetes.
De acordo com o gerente do Projeto Carbono do Núcleo de Competência para o Desenvolvimento de Tecnologia de Carbono (NCDTC) do Centro Tecnológico do Exército (CTEx), Major Alexandre Taschetto, a vantagem da invenção brasileira é que os derivados do petróleo ou “fundo do barril de petróleo” não têm mercado significativo, o que ajuda a baratear a fibra de carbono brasileira e viabilizar o uso em larga escala.
“Avaliamos que a fibra de carbono de piche de petróleo brasileira pode custar entre US$ 10 a US$ 15 por quilo. A indústria automobilística avalia que se o custo da fibra estiver abaixo de US$15 por quilo já compensa substituir o aço por fibra em maiores quantidades”, explicou o major ao salientar que carros com peças de fibra de carbono têm mais eficiência energética e emitem menos poluentes que os carros com peças de aço.
Taschetto explicou ainda que, para o Exército, a nova tecnologia também é muito útil na fabricação de materiais mais leves para os soldados, “desde equipamentos individuais como capacete, armamento leve, como pistola e fuzil, até armamento pesado, como metralhadora, morteiro, além de peças para viaturas mais leves”.
A produção em escala industrial do material ainda está em estudo na Petrobas. O produto produzido em escala semi-industrial será apresentado no Congresso Mundial de Pesquisadores da Área de Carbono (Carbon 2013), entre os dias 15 e 19 de julho, no Rio de Janeiro e pela primeira vez na América do Sul. As fibras de carbono estão presentes em vários produtos como nas bicicletas, nos celulares e laptops.

 Conteúdo publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil. Para reproduzir o material é necessário apenas dar crédito à Agência Brasil

terça-feira, 2 de julho de 2013

Celebrando o desastre no Egito



"Leave!" might have been their main slogan, but the people who took to the streets yesterday to demand the end of Muslim Brotherhood rule had clearly spent little time pondering what would happen once this regime is removed. There is at least some excuse for this, though: no one really expected Morsy to simply give up and go away. Most of the protestors were actually aiming to obtain some sort of concessions from the government -- perhaps constitutional reform or even (the wildest dream of all) an early presidential election. Unfortunately, however, they spoiled their negotiating position by failing to articulate what precisely what it was they wanted.

Extraído, em 02 de julho de 2013,  do artigo Celebrating a disaster in Egypt

 "Vá embora!" poderia ter sido o lema principal deles, mas as pessoas que saíram às ruas ontem para exigir o fim do regime Irmandade Muçulmana tinham claramente passado pouco tempo ponderando o que iria acontecer uma vez que este regime seja removido. Há pelo menos uma desculpa para isso, porém: ninguém realmente esperava que Morsy simplesmente desistisse e fosse embora. A maioria dos manifestantes foi, na verdade, com o objetivo de obter algum tipo de concessão do governo --
talvez uma reforma constitucional ou até mesmo (o maior sonho de todos) uma eleição presidencial antecipada. Infelizmente, no entanto, eles estragaram sua posição de negociação ao não articular o que exatamente queriam.

terça-feira, 18 de junho de 2013

Opinião: Corrupção x Sonegação

O maior problema do Brasil não é a corrupção como muitos acreditam, mas sim a sonegação de impostos. Enquanto o dinheiro público que é desviado por corrupção monta, na pior das hipóteses, R$ 44 bilhões por ano, a sonegação de impostos representa 5 vezes mais, ou seja, R$ 200 bilhões ao ano.
(http://homemquecalculava.blogspot.com.br/2013/04/e-se-nao-houvesse-sonegacao-corrupcao-e.html)


Então se os manifestantes querem combater um prática mais nociva, deveriam lutar contra a sonegação de impostos. Deveriam lutar também contra a privatização e internacionalização das reservas de petróleo que podem representar muitos trilhões de Reais.
http://www.dr-sergio-cruz.com/products/não-ao-leilão-do-pre-sal!-o-petroleo-e-nosso!/ )

Além disso os protestos são inoportunos, o país já investiu bastante dinheiro para as copas das confederações e do mundo, portanto quem está fazendo esta propaganda negativa do Brasil está jogando fora a chance de recuperar os investimentos já feitos. Vamos queimar dinheiro? Essa é uma atitude inteligente?


Senso crítico, ceticismo e exame da realidade devem ser usados amplamente para se evitar erros de julgamentos (http://lesswrong.com/ http://rationality.org/).

Essa é minha humilde opinião.

terça-feira, 11 de junho de 2013

Livro: "O Sequestro da América"

Está disponível, pela Editora Zahar o livro "O Sequestro da América" de Charles Ferguson, mesmo autor de "Trabalho Interno" que ganhou o Oscar de melhor documentário de 2011.

Logo a seguir podemos ver um trecho do livro:

"Muitos livros já foram escritos sobre a crise financeira, mas há duas razões pelas quais decidi que ainda era importante escrever este.
A primeira razão é que os caras maus escaparam e, surpreendentemente, houve pouco debate público a esse respeito. Quando recebi o Oscar de melhor documentário em 2011, eu disse: 'Três anos após uma horrível crise financeira causada por fraude em massa, nenhum executivo financeiro foi para a cadeia. E isso é errado.' Questionados posteriormente sobre a falta de processos, altos funcionários do governo Obama responderam de maneira evasiva, sugerindo que não havia acontecido nada ilegal ou que as investigações prosseguiam. Nenhum dos principais candidatos republicanos à presidência levantou o assunto."


"Mas mesmo deixando de lado esta crise, há hoje evidências abundantes de comportamento criminoso disseminado e impune no setor financeiro. Mais à frente neste livro repassarei a lista do que já sabemos, que é muito."


Ou seja, qualquer semelhança é mera coincidência!

Veja mais trechos em http://www.zahar.com.br/sites/default/files/arquivos/Pages%20from%20FERGUSON_OSequestroDaAmerica_28-01-13.pdf

Qual é sua opinião?

sábado, 1 de junho de 2013

Bancos corruptos, indústria corrupta de direitos autorais: por que eles externalizam os problemas de negócio?

Tradução do artigo Corrupt Banks, Corrupt Copyright Industry: Why Do They Get to Externilize Business Problems? de Rick Falkvinge

Nós estamos em uma tendência na qual os políticos acreditam que alguns fracassos comerciais são um problema de todos, mas quando as mesmas empresas tem êxito, elas ficam com todos os lucros. Esta é uma maneira ridícula e contraproducente de se construir uma economia funcional, além disso ameaça as liberdades civis. O setor bancário e a indústria de direitos autorais* destacam-se como os maiores parasitas desta área.


O arranjo perverso onde os bancos são socorridos com o dinheiro dos impostos a cada vez que pudessem ir à falência, acentuou-se com os eventos recentes - e mais absurdo é que os bancos ficam com os lucros para eles mesmos, tendo as perdas cobertas pelo dinheiro dos impostos.


No jargão econômico isso é chamado de externalização - quando alguém transfere alguns aspectos do negócio para fora da organização de forma que eles não sejam lidados. Poluição industrial, por exemplo, é um caso típico de externalização de um problema: se você tem lama tóxica como um subproduto de um processo de manufatura e pode despejá-la em um rio próximo, isto é externalização, porque você não precisou pagar pela limpeza. Os contribuintes (e o rio morto) sim.


O fato de que os bancos externalizam as perdas cria mecanismos de incentivos, horrivelmente distorcidos, onde a exposição a riscos extremos é recompensada, por causa da inexistência de perdas. Há apenas o potencial de ganhos enormes. É mais ou menos como se você fosse imortal e não pudesse se machucar - imagine que loucuras você faria fora do comportamento normal diante da mortalidade? Esta é a situação corporativa na qual os bancos estão.



Assim é a indústria dos direitos autorais. Eles tem o monopólio de distribuição sobre parte do conhecimento e da cultura (que pode, e deve, ser debatido). Mas ao contrário de outros monopólios, onde o detentor do monopólio tem que abrir processo em um tribunal de direito, essa indústria tem externalizado o problema comercial de imposição de seu monopólio -  porque é um problema de negócios - fazendo com que o aparato público policial garantisse suas regras de negócio em seu nome, estendendo este monopólio comercial - monopólio dos direitos autorais - em direito penal.


Em outras palavras, o não apoio a um modelo de negócios foi colocado em pé de igualdade legal com prejudicar um outro ser humano -  e isso tem sido feito por políticos que estão perigosamente sem noção.  Eles permitiram que a indústria de direitos autorais externalizasse seus problemas comerciais para deixar para os contribuintes a criação de leis para imposição de um monopólio já imoral.

Isso é obsceno. Isso precisa acabar.


*N.T.: Copyright foi traduzido para direitos autorais.

quarta-feira, 22 de maio de 2013

How to improve the battery life of the Razr i (Jelly Bean - 4.1.2)

Attention: Before you follow the instructions below, make a backup of your data in the internal memory of the device.

After updating the Motorola Razr i (xt890) for version 4.1.2 of Android, battery life was far below what was originally, from 6-7 days to 3 days in standby mode. A decrease of approximately 50% on a feature that was one of the device's strongest selling points.

To return the autonomy lost by update, I did something very simple, I used the Restore data factory function present in Setting-> Privacy. After selecting this function, the system will request confirmation alert on the level of the battery and restart the system itself. Wait until the procedure is complete, it can take up to 10 minutes.

At the end of the process the autonomy will be restored as can be seen in this screenshot.

Do not set all applications previously installed at once, do it slowly so you can identify some sucking battery app. So far I did not find any, but a little caution is desirable.

If this procedure work on your device, leave a comment.

Como melhorar a autonomia da bateria do Razr i (Jelly Bean - 4.1.2)

Atenção: Antes de seguir as instruções abaixo, faça uma cópia de segurança de seus dados presentes na memória interna do aparelho.

Após atualizar o Motorola Razr i (xt890) para a versão 4.1.2 do Android a autonomia da bateria ficou muito abaixo do que era originalmente, passando de 6-7 dias para 3 dias em modo de espera. Ou seja, uma diminuição de aproximadamente 50% em uma caracterítica que era um dos pontos mais fortes do aparelho.

Para devolver a autonomia perdida pela atualização, fiz uma coisa muito simples, usei a função Restaurar dados de fábrica presente em Configurar->Privacidade. Após selecionar essa função, o sistema solicitará confirmação, alertará sobre o nível da bateria e reiniciará o próprio sistema. Aguarde a conclusão do procedimento que poderá demorar até 10 minutos.

Ao final do processo a autonomia será restaurada conforme pode ser visto nesta captura de tela.

Não configure todas as aplicações instaladas anteriormente de uma só vez, faça isso aos poucos para poder identificar alguma sugadora de bateria. Até o momento não achei nenhuma, mas um pouco de cautela é desejável.

Se esse procedimento funcionar em seu aparelho, deixe um comentário.

terça-feira, 30 de abril de 2013

Serviço de data e hora do Fedora 18

O serviço resposável por ajustar a data e hora no Fedora 18 é o systemd-timedated.service que em parte substitui o ntpd.

Para verificar o estado deste serviço, use o comando:

$ sudo system-ctl status systemd-timedated.service
          systemd-timedated.service - Time & Date Service
          Loaded: loaded (/usr/lib/systemd/system/systemd-timedated.service; static)
          Active: inactive (dead)
            Docs: man:systemd-timedated.service(8)
                  man:localtime(5)
                  http://www.freedesktop.org/wiki/Software/systemd/timedated
Abr 30 23:54:01 host.acme.com.br systemd[1]: Starting Time & Date Service...
Abr 30 23:54:01 host.acme.com.br systemd[1]: Started Time & Date Service.

O systemd-timedated.service pode ser configurado para usar o NTPd (ntpd.service) ou o chronyd (chronyd.service). Por padrão, o Fedora 18 usa o chronyd.

A configuração do Chrony fica em /etc/chronyd.conf.


Referências

1. http://www.freedesktop.org/wiki/Software/systemd/timedated

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Compactar e dividir arquivos usando o Nautilus

No Fedora 18 instale o pacote p7zip-plugins, da seguinte forma:

# yum install p7zip-plugins

Após a instalação, abra o Nautilus e escolha o arquivo ou pasta que será comprimido e dividido clicando com o botão 2 do mouse, selecione a opção Comprimir..., então a seguinte janela aparecerá:


Escolha a opção .7z como tipo de arquivo e selecione Outras opções.

Configurar GRUB 2 para iniciar outros sistemas


Supondo que se tem uma instalação do Windows na primeira partição primária do primeiro disco (hd0,1), para acrescentar esta opção ao menu do GRUB 2, siga estas instruções:

  • Abra o arquivo /etc/grub.d/40_custom para edição com privilégios administrativos,

$ sudo gedit /etc/grub.d/40_custom

E acrescente as linhas,

menuentry "Windows" {
 insmod chain
 insmod ntfs
 set root=(hd0,1)
 chainloader +1
}

Logo abaixo dos comentários,

# This file provides an easy way to add custom menu entries.  Simply type the
# menu entries you want to add after this comment.  Be careful not to change
# the 'exec tail' line above.

  • Use o comando grub2-mkconfig para atualizar a configuração do GRUB,

$ sudo -H grub2-mkconfig -o /boot/grub2/grub.cfg
Generating grub.cfg ...
Found theme: /boot/grub2/themes/system/theme.txt
Found linux image: /boot/vmlinuz-3.8.7-201.fc18.x86_64
Found initrd image: /boot/initramfs-3.8.7-201.fc18.x86_64.img
Found linux image: /boot/vmlinuz-3.8.5-201.fc18.x86_64
Found initrd image: /boot/initramfs-3.8.5-201.fc18.x86_64.img
Found linux image: /boot/vmlinuz-3.6.10-4.fc18.x86_64
Found initrd image: /boot/initramfs-3.6.10-4.fc18.x86_64.img
Found linux image: /boot/vmlinuz-3.8.7-201.fc18.x86_64
Found initrd image: /boot/initramfs-3.8.7-201.fc18.x86_64.img
Found linux image: /boot/vmlinuz-3.8.5-201.fc18.x86_64
Found initrd image: /boot/initramfs-3.8.5-201.fc18.x86_64.img
Found linux image: /boot/vmlinuz-3.6.10-4.fc18.x86_64
Found initrd image: /boot/initramfs-3.6.10-4.fc18.x86_64.img
...
...
done

  • Após isso reinicie o sistema e verifique se a opção com rótulo "Windows" apareceu.

Também é possível carregar outros sistemas operacionais dessa mesma forma, desde que na partição do sistema exista um carregador do sistema (GRUB, GRUB2, lilo, etc.).


terça-feira, 16 de abril de 2013

Como instalar extensões no Gnome Shell manualmente

As extensões do Gnome Shell são instaladas em /usr/share/gnome-shell/extensions ou em ~/.local/share/gnome-shell/extensions, sendo o primeiro global e o segundo válido apenas para o próprio usuário.
Para instalar uma extensão de forma manual, obtenha o pacote ZIP correspondente a extensão desejada em https://extensions.gnome.org. Em cada página de extensão do extentions.gnome.org há um link que aponta para a Home Page do projeto. Seguindo um desses links, procure o pacote ZIP para download.
Após o download do ZIP, abra-o com o Gerenciador de Pacotes conforme:


Clique no botão Extrair, use a combinação de teclas Control+H para exibir arquivos ocultos e navegue até o diretório ~/.local/share/gnome-shell/extensions, quando estiver no diretório clique no botão Criar pasta e digite o nome do novo diretório (obs.: use o nome da extensão). Depois de criada a pasta, selecione-a e clique em Extrair.


Por garantia efetue logout e abra uma nova sessão do Gnome Shell, abra a Ferramenta de ajustes (Gnome Tweak Tool), escolha a opção Extensões do shell, encontre o plugin na lista e habilite-o.



quarta-feira, 3 de abril de 2013

Atualizar Scientific Linux 6.3 para 6.4


  1. Limpe todo o cache do yum,
$ sudo yum clean all

  1. Atualize primeiramente o yum,
$ sudo yum --releasever=6.4 update \*yum\*

  1. Verifique as atualizações disponíveis,
$ sudo yum --releasever=6.4 check-update

  1. Aplique as atualizações com o comando,
$ sudo yum --releasever=6.4 update --skip-broken

  1. Finalmente, reinicie o sistema para validar as atualizações.

Referência: http://joacelio.blogspot.com.br/2012/08/atualizar-scientific-linux-62-para-63.html


quarta-feira, 27 de março de 2013

Frase do dia, 2013-03-20

And that is that social theories are reflexive. Heisenberg’s discovery of the uncertainty principle did not alter the behavior of quantum particles one iota, but social theories, whether Marxism, market fundamentalism or the theory of reflexivity, can affect the subject matter to which it refers. Scientific method is supposed to be devoted to the pursuit of truth. Heisenberg’s uncertainty principle does not interfere with that postulate but the reflexivity of social theories does. Why should social science confine itself to passively studying social phenomena when it can be used to actively change the state of affairs? As I remarked in The Alchemy of Finance, the alchemists made a mistake in trying to change the nature of base metals by incantation. Instead, they should have focused their attention on the financial markets where they could have succeeded.
-- George Soros, excerto do artigo "General Theory of Reflexivity" extraído de FT.com

quinta-feira, 7 de março de 2013

Chegou o Android "Jelly Bean" para o Razr i

Acabei de atualizar o #Android "Jelly Bean" 4.1.2 para o #Motorola #Razr i (XT890). O Processo de #atualização foi rápido, não levou mais do que 10 minutos, e consumiu pouco mais de 12% da carga da bateria.



Não percebi muitas mudanças na interface, mas o sistema mostrou-se mais rápido agora do que com a versão 4.0.4. Algumas funções foram adicionadas, no entanto ainda não tive tempo para descobrir todas as novidades.