terça-feira, 9 de julho de 2013

Remunerando a web

Paying for the web? - Por Lionel Dricot

Eu sei que isso parece loucura, mas eu quero contribuir com uma tentativa de um pequeno experimento. Durante um ano, você pagará pelo conteúdo que você consomir na web: artigos em blogs, música, vídeos, boas fotografias, notícias e até mesmo simples tweets! Você pagará por tudo!

O que? Pagar pela web? Sim, mas…

Há duas observações importantes. A primeira seria que você só pagaria apenas após consumir o conteúdo que tenha gostado ou avaliado como valioso. Seria como se você tivesse ido ao cinema e decidido depois se valeria a pena pagar pelo ingresso.

A segunda observação é que você sempre gastará 2€ por mês, independentemente da quantidade consumida. Ao final de um ano, este experimento terá custado apenas 24€. O interessante é que é um valor que cabe em seu bolso.

Como começar?

É fácil. Crie uma conta no Flattr e envie-lhes 24€.

flattr

Uma vez registrado no Flattr, tente encontrar um pequeno botão verde cada vez que você apreciar algum conteúdo. Se você não encontrar, não hesite em contactar o autor solicitando a inclusão de um botão do Flattr.

flattrbuttons

Mas "Flatt-ar" é quase sempre possível sem a existência explícita de um botão. Instale a extensão Flattr para Chrome ou Firefox e a logomarca do Flattr será exibida no navegador a cada vez que você visitar uma página “Flatt-ável”. Desse modo, você pode Flatt-ar tweets individuais no Twitter, vídeos no Vimeo, música no Soundcloud e Grooveshark, imagens no Flickr, 500px, Instagram e projetos de software no Github. Sim, você pode até mesmo flatt-ar um único commit no github!

flattr_extension

Se o autor do conteúdo não tiver uma conta no Flattr ainda, seu Flattr é marcado como pendente. Seu dinheiro será transferido de sua conta para a conta do autor somente quando ele solicitar os Flatrrs pendentes.

Você pode até mesmo configurar Flatt-agem automática no Grooveshark. Os artistas que você ouve durante um dados mês receberão automaticamente um Flattr naquele mês. Um serviço externo chamado FlattrStar permite-lhe, automaticamente, Flatt-ar conteúdo que você marque com uma estrela no Google Reader, Readability, Instagram, Pocket e muitos mais. É até mesmo possível Flatt-ar alguém na rua com seu smartphone! Mas vamos deixar para depois.

Ao receber Flattrs

você está apoiando o conteúdo que você gosta. Mas talvez o publicador do conteúdo seja você mesmo? Seu conteúdo pode ser Flatt-erado como qualquer outro website já mencionado. Se você tem um blog, não hesite em fazer com que cada post seja Flatt-ável.

E se você comenta neste próprio blog, não hesite em adicionar seu Flattr ID. Um comentário afinal é um conteúdo. Ele pode ser considerado útil, interessante ou engraçado para outras pessoas e valer uns Flattrs.

As desvantagens

Mesmo sendo um grande fã do Flattr, não deixo de destacar duas críticas principais que você deve estar ciente.

Primeiramente, o Flattr é um modelo proprietário e centralizado. Você tem que confiar neles. Se o Flattr se tornar um dia extremamente grande, ele terá uma quantidade enorme de poder. Eu espero ver alguns competidores e algumas alternativas distribuídas (usando Bitcoin?). Mas, nesse meio tempo, o Flattr é uma solução funcional e muito interessante.

Em segundo lugar, o Flattr fica com 10% de cada Flattr. Durante seu experimento, 2,4€ serão destinados diretamente ao Flattr. Se faz sentido ter alguma tarifa, alguns gostariam de vê-la mais baixa.

Conclusão do experimento

Reserve um ano para realizar o teste. No pior caso, você perderá apenas 24€. Perda não é uma palavra muito apropriada quando você sabe que 21.6€ irão para o produtor do conteúdo que você apreciar. Você pode testar por apenas 6 meses ao enviar 12€.

Mas se tudo correr bem, você descobrirá o simples prazer de apoiar o que você gosta na web. Você assinará algum conteúdo a fim de Flatt-ar-los durante 3 ou 6 meses. Você se verá aumentando o limite mensal para 3€, 5€ ou mesmo, se você for bem rico, o máximo de 250€.

E se sua meta de ganhar tanto quanto você gastar no Flattr lhe dá alguma motivação para criar um blog, publicar uma imagem no Flickr, músicas no SoundCloud ou vídeos no Viméo? Não tenha vergonha: se uns poucos euros lhe dão motivação, por que não os usar para soltar sua criatividade?

Disponible en français

Creative Commons License
The Paying for the web? by Lionel Dricot, unless otherwise expressly stated, is licensed under a Creative Commons Attribution 2.0 Belgium License.